Skip to main content

A importância da Guia Canina

guia canina - antes e depois

Hoje eu queria explicar para vocês a importância da guia canina. A guia canina é o trilho da nossa mastigação e da nossa mordida. São os caninos que orientam o movimento dos nossos dentes e os protegem, evitando que se toquem inadequadamente, garantindo sua durabilidade.

Observar isso é muito importante quando a gente trabalha com restaurações estéticas na região anterior. Muitos pacientes vêm até o meu consultório, em Piracicaba, se queixando de que fazem restaurações nos dentes da frente e essas restaurações não duram, quebrando constantemente.

Mas muitas vezes não é porque a restauração não está bem feita, mas sim porque não foi estabelecido o movimento correto dos caninos. Sabe por quê?

No movimento certo, os caninos precisam tocar um ao outro quando a gente fala, quando a gente come, para que consigam guiar a nossa mordida e para que sofram a carga da nossa mastigação e da nossa fala, liberando os outros dentes que devem ser preservados, quando não possuem essa função de toque.

Como a maior parte das restaurações estéticas são feitas nos dentes da frente, que não são feitos para se tocarem, se elas se tocam… Elas quebram.

A resina é um material muito legal, mas em alguns momentos ela precisa ser preservada. Por exemplo, o paciente não pode morder coisas duras com aquele dente restaurado.

O que acontece muitas vezes é que o paciente toma todos esses cuidados, mas não pode controlar a oclusão dele. Cabe ao dentista fazer esse diagnóstico e entender que os caninos precisam ser tocados para que eles protejam as restaurações.

Então, por exemplo, um paciente que veio até o meu consultório e que a queixa dele era o fato de os dentes da frente estarem lascados, com espaço entre eles, alguns estavam com as pontas quebradas e alguns acinzentados, ou seja, é um indício de translucidez, o dente está tão fininho que enxergamos o fundo da boca.

Neste caso, recomendei ao paciente refazer as guias caninas. Quando o movimento dos caninos está incorreto, quem faz a guia serão outros dentes.

Com este paciente, os dentes laterais e centrais assumiram a função e ficaram sobrecarregados, desgastando-se e ficando lascados. Nem a melhor restauração que eu poderia fazer se manteria nessa situação.

Decidimos, então, pela melhor escolha com o procedimento de porcelana pura que vai durar com o movimento correto dos caninos. Ao tocar um canino com o outro, os dentes da frente não se tocam e o procedimento dura muitos e muitos anos.

Mesmo que eu tivesse restabelecido essa oclusão com resinas compostas, esse paciente teria um resultado final duradouro porque ele vai conseguir preservar os dentes da frente sem nem perceber, já que os caninos estão lá fazendo a sua função direitinho.

Quando a gente escolhe qualquer tipo de material restaurador, é muito importante avaliar a posição dos caninos. Não adianta eu fazer a melhor resina do mundo se eu deixar que os dentes desse paciente fiquem se tocando, a resina irá quebrar em 15 dias e o paciente vai se frustrar com isso.
O diagnóstico deve vir antes e é até mais importante que a escolha do material para a restauração! Ao registrar a posição dos caninos e melhorar isso, a gente consegue longevidade, sucesso e o paciente sai daqui feliz com qualquer um dos procedimentos.

Espero que tenha ficado claro para vocês a importância da guia canina. A Clínica Renata Avighi está disponível para atender as suas dúvidas e o seu sorriso. Entre em contato:

19 3377 7932

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *