Skip to main content

Desgaste e Lente de Contato Dental

Hoje vou esclarecer para vocês um dos grandes mitos da odontologia atual. Desgaste e lente de contato dental. É preciso fazer desgaste quando vamos fazer lentes de contato dentais?

Essa questão é muito comum em uma primeira consulta na Clínica Renata Avighi, em Piracicaba, muitas vezes o paciente não quer fazer faceta de porcelana e sim lentes de contatos dentais, “porque não desgastam os dentes”. Na verdade, isso é um grande mito.

Eu até já falei sobre isso em outras postagens, é muito mais uma questão de nomenclatura. O resultado final acaba sendo a mesma coisa. O que importa é que o sorriso fique natural e perfeitamente alinhado, como no planejamento inicial, parecendo dente, e que não se diferencie se foi uma faceta ou lente de contato.

Vou explicar o porquê do desgaste ou não quando fazemos lente de contato dental ou mesmo porcelanas e facetas. Antes de iniciar a transformação fazemos um projeto para definir qual o tratamento e se é necessário desgastar ou não os dentes. A gente não desgasta porque quer ou porque o paciente não quer, é pela importância para o resultado final.

No planejamento, eu organizo e decido junto com o paciente a construção do sorriso final pela transformação estética com peças indiretas e laboratoriais como são as lentes. É obrigatório nós seguirmos uma sequência. A gente define uma posição final para aquele dente.

Para isso, eu avalio se a posição do dente do paciente atrapalha ou não a transformação. Então, essa decisão de desgaste é pensada junto com o laboratório quando decidimos qual o resultado final é esperado e qual posição dos dentes ficará agradável esteticamente e adequado nesse sorriso.

Existem dois tipos de casos então, o que desgasta, e o que não desgasta. Isso falando de casos de pacientes mais jovens, sem intervenções prévias, que apenas buscam por um sorriso mais alinhado e bonito.

Tem o caso de paciente que chega ao consultório com um sorriso inicial que facilita muito o trabalho, não precisando de desgaste e tem paciente que tem o sorriso com algum dente que atrapalha no resultado final, então é preciso fazer uma intervenção um pouco maior. Vou apresentar os dois para vocês.

O primeiro caso é de uma paciente que possuía algumas resinas desgastadas e manchadinhas, dentes pequenininhos com bastante espaço entre eles. Eu já cuido do sorriso dessa paciente há 8 anos e neste momento ela optou pela troca das resinas pelas lentes de contato, prezando pela durabilidade, resistência e também por não mancharem. É possível remover as resinas de maneira bem conservadora, sem mexer no dente ou no esmalte.

Como eram dentes menores, com espaço, já alinhados para dentro, certinhos, é muito mais simples o uso das lentes porque é só colar em cima do dente natural. Essa transformação saiu de um sorriso com aspecto mais infantil para um sorriso mais volumoso e dominância. Nesse caso eu não preciso desgastar, o dente dela já veio pronto para mim, eu só vou acrescentar material.

O outro caso, de uma paciente também jovem, era a queixa da irregularidade da largura dos dentes, enquanto uns eram mais largos outros eram bem fininhos. Segundo a paciente era um sorriso desproporcional, sem destaque.

Para planejarmos o novo sorriso utilizamos um recurso digital chamado grade. Por ele, conseguimos ver a proporção ideal entre largura e altura dos dentes centrais superiores, que deve ser de 75% e o dessa paciente era de apenas
64%.

Para chegar ao resultado final e arrumar a proporção dos dentes e os espacinhos entre eles, nesse caso, é preciso desgastar um pouquinho. Não é possível colocar um dente mais para direita ou mais para esquerda sem fazer um desgaste lateral. Assim, o que define para mim se vou desgastar ou não é a posição inicial desse dente e o quanto ela atrapalha para chegar ao resultado final ideal.

Claro que o objetivo é sempre ter um processo mais conservador possível, a odontologia está caminhando para isso. Eu sempre explico para o paciente que os dois casos ficam bonitos e perfeitos, mas é preciso ter a consciência de qual
caso você se encaixa para que possamos realizar o processo e gerar um resultado satisfatório e sem surpresas desagradáveis.

É isso, espero que vocês tenham entendido. Qualquer dúvida, entre em contato com a Clínica Renata Avighi:

(19) 33777932

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *